sexta-feira, 7 de maio de 2010

Poesia satírica

Neste semestre estamos estudando vários períodos literários, e dentre eles o Barroco, que tem, no Brasil, Gregório de Mattos como um de seus maiores representantes, que também ficou conhecido como Boca do Inferno, por utilizar suas poesias satíricas como um protesto a tudo o que estava ocorrendo no país naquele momento. E ele sabia fazer como ninguém essa caricatura do dia-a-dia do povo, utilizando de muito cinismo e crueldade, sem poupar ningúém, independente de cor, credo e posição social.
E depois de ler alguns de seus poemas, ouvir o Professor Guilherme Nicésio falar sobre seu estilo literário e recitar outros tantos poemas para nós, acabei me interessando pelo gênero, e não é que até arrisquei escrever a minha própria poesia satírica? Ei-la:


"Poema para Rafaela"
Não quero encontrar Rafaela
que anda por aí
como se o mundo fosse dela.
Por isso a rima medíocre,
na medida de Rafaela.
Rafaela queria ser britânica,
moderna e dinâmica,
Tráz sempre consigo um walkmann batido,
como fazem os de sua estirpe,
e tece seus sonhos descoloridos
mesmo sem ninguém para ouvir.
Você poderá argumentar:
“- Como é nojenta essa Rafaela!”
Porém, há algo que não se pode negar,
Rafaela é mulher forte
e eu desejo paciência e sorte
para, se por acaso, o amigo a encontrar.



Claro que não pretendo aqui me comparar a nenhum autor dos verdadeiros poemas satíricos da época Barroca, mas achei interessante o exercício de trabalhar com cinismo dentro da poesia.
Também não pretendo com o poema acima ofender ninguém em especial, por favor, que ninguém me interprete mal, é apenas um trabalho artístico, sem inspiração em seres reais.
E, se por um acaso do destino, alguma Rafaela se reconhecer em minhas palavras, peço que me desculpe, realmente não foi a minha intenção.
No fundo, quero apenas que todos se divirtam como eu me diverti ao ler os poemas satíricos de Gregório.




2 comentários:

agmoncarlos disse...

Oi Joana
VALEU sua experiencia neste ramo da poesia satírica depois de ler e de ouvir seu professor Guilherme como citou, mostrando que realmente assimilou os ensinamentos...
Seu poema para RAFAELA foi um bom trabalho, agora o seu pedido de desculpas foi o MAXIMO
de um mestre no ramo. Bota "carapuça" nisso aí e como no fim das boas fabulas,todos se divertiram como voce...
Esperamos vc e suas colegas em nosso proximo evento na ACADEMIA (onde os poetas jovens podem reviver a boa poesia do passado a medida que fazem a boa poesia do presente e do futuro) Saudações Literárias AGMON, poetamigo

Futebol Fair Play disse...

Até agora foi um dos poucos que eu entendi por completo... muito bom... Só falta eu conhecer a Rafaela para comparação.

Postar um comentário