segunda-feira, 28 de dezembro de 2009


Boa Noite! No percurso da vida, há tantos momentos de decisões... e indecisões! Mas, acredito que o mais esperado é esse: Dádiva ou Dúvida? Dádiva de amar... ou permanecer na Dúvida de quem é a pessoa certa, e se é? Particularmente, fazer essa escolha sempre foi muito difícil para mim, portanto, até hoje permaneço na dúvida rsrs Mas ter dúvida não é bom, causa medo e o medo é uma barreira que impede nossos olhos de enxergarem as coisas belas e os momentos oportunos da vida... Bem, que todos os leitores não façam como eu, mas decidam a Dádiva de serem felizes! Feliz Ano Novo a todos... até a próxima semana.


Portal de Emoções


Desde o início temos medo de abrir as portas da emoção. Possuimos a chave-mestra nas mãos, no entanto, só a queremos entregar ao único - ou à única - de nossas vidas. Pois, uma vez entregue, já não haverá mais fechaduras nas portas.

É tão difícil permitir-se vivenciar o mais belo perfeito sentimento? É complicado assim? Usamos o tempo - ou a ausência dele - como desculpa para fugir da complexa decisão que mudará nossos destinos dali pra frente. Quebrar a rotina é inevitável; mudar os hábitos, comportamentos e, até mesmo, o raciocínio, também ocorre. Estamos preparados para isso? Na maioria das vezes, não!

Como, então, lidar com essa nova tarefa atribuída a nós? Nós, que nunca experimentamos o sabor de ser a metade faltante; nós, que tememos o fim amargo da suposta doçura denominada "amor"; nós, que nos julgávamos incapazes de retribuir um gesto sincero sem pedir algo em troca; nós, que jamais seríamos os eleitos ao romance recíproco de uma história.

Contudo, acontece conosco. E, quando acontece, tornamo-nos apavorados diante da imensidão deste sentimento e da proporção com a qual se manifesta, tomando nossos corações aos poucos, cada vez mais intensamente. Não sabemos como agir: se rimos à toa, se choramos como bobos! Ao mesmo tempo em que somos felizes, sentimo-nos tristes e amedrontados por, talvez, não mais sermos os mesmos d'outrora: fiéis amantes da solidão.

Assim ele vem: como luz destruindo a escuridão de nossas vidas; como sal para dar sabor às nossas almas insípidas; como chuva que faz brotar uma rosa em nossos corações estéreis; como si mesmo: o maior de todos os dons - Amor -, o qual derriba paredes de antigos traumas, supera todo e qualquer entendimento e, no peito, faz morada eterna.

Não há receita ou manual para entendê-lo ou aprender a senti-lo, pois vem sem aviso prévio... mas bate às portas pedindo para entrar. Inexistem motivos para termos receio de abrir este "Portal de Emoções", mas temos. Tememos o sofrimento, a perda repentina e a dor que isso pode nos causar. Dor, esta, semelhante um cruel abismo, escura, profuda e infinda...

O que fazer? Arriscar à felicidade ou permanecer inerte, insensível, indiferente? Ceder ao comodismo ou crescer a qualquer preço? Nunca sabemos responder a nós mesmos. Entretanto, o tempo nos obriga a optar por um caminho... Qual escolheremos?


M. F. Gomes


*escrito em 12 de agosto de 2009.

3 comentários:

Cris Linardi disse...

Lindo, Mayra, adorei. Eu já escolhi o meu caminho. É o de enfrentar a dor e guerrear contra o medo. A vida é muito curta pra perdermos tempo. Pensar com sensatez antes de agir é importante, mas só pensar e não agir é terrível.
Grande beijo e boas inspirações!

Joana Masen disse...

Mayra, sempre muito inspirada.
Acredito que o medo só valoriza a conquista. O medo foi feito para ser vencido, demore o tempo que demorar, e quando ele se vai, a conquista fica muito maior e mais importante.
Bjos!

Vinicius Fuscaldy disse...

Ai Mayra. De onde vem isso tudo? A cada post seu eu me pergunto: pra que esconder isso esse tempo todo? Você continua maravilhosa! Padrão de qualidade Os Letreiros (rsrsrsrs).

Postar um comentário